Amar, amores

"Amar é dar o que não se tem..."

“Amar é dar o que não se tem…”

Mesmo com interesses diversos, um casal pode estar junto. É preciso cavar um espaço de respeito ao desejo do outro e da diferença.
Mudar o outro? Até quando esperar? Até seus últimos dias.
Mudar sua relação com o desejo do outro? Isso sim é possível e uma boa saída para o eterno desencontro entre um e outro.
Mudar a relação com o desejo do outro implica em poder refletir e pensar qual é o seu desejo afinal.

Angústia 40 graus

O Pânico é da ordem da angústia. O sujeito desamparado, desprotegido, órfão de si.

O Pânico é da ordem da angústia. O sujeito desamparado, desprotegido, órfão de si.

O medo excessivo afeta o corpo físico, provoca palpitações, queda de pressão, sensação de morte. Esse fato, tem efeitos psíquicos e gera uma memória corporal inesquecível.
O homem é tomado por um estado de completa insegurança. Como se nunca tivesse tido um pai que o protegesse dos perigos da vida.
Algo foge do controle! Não quero depender de ninguém!
O que fazer?
Falar com um psicanalista pode ajudar a saber mais sobre esta angústia. Falar contorna o corpo de quem sofre de desamparo de maneira acentuada.

Para pais

É que sou constituído pelo desejo do outro. É por ela desejar outras coisas além de mim, que posso crescer e buscar meus interesses.

É que sou constituído pelo desejo do outro. É por ela desejar outras coisas além de mim, que posso crescer e buscar meus interesses.

Não somente as mães, mas os pais se angustiam com os filhos. As fantasias de um pai e ou de uma mãe em relação ao filho, afetam-o diretamente propiciando a formação de sintomas ou dificuldades. Ter um espaço apropriado para falar disso pode muitas vezes evitar que a criança necessite se submeter a uma análise. Também pode “acalmar” os pais em suas angústias.

Afeto com sensibilidade

Criança

CABECINHA BOA de menino triste,

de menino triste que sofre sozinho,

que sozinho sofre, – e resiste.

 

Cabecinha boa de menino ausente,

que de sofrer tanto se fez pensativo,

e não sabe mais o que sente…

 

Cabecinha boa de menino mudo

que não teve nada, que não pediu nada,

pelo medo de perder tudo.

 

Cabecinha boa de menino santo

que do alto se inclina sobre a água do mundo

para mirar seu desencanto.

 

Para ver passar numa onda lenta e fria

a estrela perdida da felicidade

que soube que não possuiria.

 

Cecília Meireles